Projeto Cumaru da UEPB: A educação ambiental como forma de preservação do Cumaru

 Projeto Cumaru da UEPB: A educação ambiental como forma de preservação do Cumaru

Foto: Sérgio Melo

A Universidade Estadual da Paraíba está desenvolvendo o projeto “GTC: Conservação de Amburana cearensis (EN) no bioma caatinga”, coordenado pelo Jardim Botânico da UEPB, financiado pôr Botanic Gardens Conservation International (BGCI), através do programa GTC Global Trees Campaign, com a Fundação Franklinia. O trabalho que vem sendo desenvolvido tem-se a certeza de que a educação ambiental desempenha um papel fundamental na preservação da árvore Cumaru (Amburana cearensis) e de outros recursos naturais.

O Cumaru é uma árvore que produz uma madeira valiosa e sementes utilizadas na indústria de perfumaria e na culinária. Para garantir a sua preservação, é importante envolver a comunidade e conscientizá-la sobre a importância dessa espécie e de seu ecossistema.

 

Foto: Sérgio Melo

 

Aqui estão algumas maneiras pelas quais a educação ambiental pode contribuir para a preservação do Cumaru:

Conscientização: A educação ambiental ajuda a conscientizar as pessoas sobre a importância do Cumaru e dos ecossistemas onde ele cresce. Isso inclui a divulgação de informações sobre o valor ecológico, cultural e econômico da árvore.

Identificação e manejo sustentável: Através da educação ambiental, as comunidades podem aprender a identificar o Cumaru e a entender a importância do manejo sustentável, incentivando a colheita responsável e o replantio da espécie.

Conservação do habitat: A preservação do Cumaru está intimamente ligada à conservação do seu habitat natural. Através da educação ambiental, as pessoas podem entender a necessidade de proteger áreas onde o Cumaru cresce, evitando a degradação e o desmatamento.

Valoração da biodiversidade: Através da educação ambiental, as pessoas podem aprender sobre a biodiversidade do ecossistema em que o Cumaru se encontra. Isso inclui a compreensão de como a árvore interage com outras espécies e como a sua preservação beneficia a fauna e a flora locais.

Incentivo ao reflorestamento: A educação ambiental pode incentivar a criação de projetos de reflorestamento com Cumaru e outras espécies nativas, ajudando a aumentar a população da árvore e a restaurar ecossistemas degradados.

Desenvolvimento sustentável: Através da educação ambiental, as comunidades podem ser orientadas a explorar o Cumaru de maneira sustentável, promovendo práticas econômicas que beneficiem tanto a conservação da árvore como a qualidade de vida local.

Participação da comunidade: Incentivar a participação ativa da comunidade na preservação do Cumaru é essencial. Isso pode envolver a organização de grupos de conservação, a promoção de projetos de educação ambiental em escolas locais e a sensibilização da população em geral.

 

Em resumo, a educação ambiental desempenha um papel vital na preservação do Cumaru e de outras espécies ameaçadas, ao promover o entendimento, o respeito e o cuidado com o meio ambiente. Ela capacita as comunidades a desempenharem um papel ativo na conservação da biodiversidade, contribuindo para um futuro sustentável e equilibrado.

 

Foto: Sérgio Melo

 

O Projeto Cumaru é financiado pôr Botanic Gardens Conservation International (BGCI), através do programa GTC Global Trees Campaign, com a Fundação Franklinia e apoio do Jardim Botânico Professor Ivan Coelho Dantas da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

 

0 Shares
Digiqole Ad

PBC

https://paraibacultural.com.br

Noticias Culturais e Ambientais da Paraíba

Conteúdo relacionado

Ativar notificações Sim Não
Which Notifications would you like to receive?