Votorantim Cimentos promove intercâmbio cultural em Encontro de Comunidades Tradicionais

 Votorantim Cimentos promove intercâmbio cultural em Encontro de Comunidades Tradicionais

Representantes de comunidade indígena e quilombola trocam experiências no Encontro de Comunidades Tradicionais. Crédito: Votorantim Cimentos/Divulgação.

Evento estimula a troca de experiências entre povos indígenas e quilombolas nas regiões Norte e Nordeste

 

Conhecimento prático de projetos que contribuem para o fomento de pequenas cadeias produtivas e para a valorização da cultura de povos indígenas e quilombolas. Uma ação viabilizada pelo Encontro de Comunidades Tradicionais, realizado no Recôncavo Baiano, no mês de dezembro pela Votorantim Cimentos, empresa de materiais e soluções sustentáveis, com a presença dos parceiros Instituto Terroá, PDCA Social e Instituto Votorantim.

Representantes da comunidade quilombola do Kaonge apresentaram a membros da comunidade Suruís Aikewara, da Terra Indígena Sororó, iniciativas que ajudam a gerar renda e a fortalecer a cultura local. Situada no município de Cachoeira (BA), a comunidade Kaonge é formada por mais quatro comunidades quilombolas: Dendê, Kalemba, Engenho da Ponte e Engenho da Praia, integrantes da Reserva Extrativista Marinha da Baía do Iguape. Já a comunidade Suruís Aikewara está localizada na Terra Indígena Sororó, em São Geraldo do Araguaia (PA), em região que faz divisa com o Estado de Tocantins. A comunidade indígena é composta pelas aldeias: Awussehe, Ipirahy, Tukapehy, Itahy, Yetá, Sororó e Akamassyron.

No Encontro de Comunidades Tradicionais, os indígenas participaram de visitas de campo a comunidades onde são executados projetos de agricultura familiar e de turismo étnico de base comunitária. Nas comunidades de Brinco e Quizanga, por exemplo, as comunidades demonstraram como obtêm sustento por meio do cultivo de mandioca e beneficiamento para produção de farinha. Outra visita realizada pelos indígenas foi na Rota da Liberdade, onde os moradores da comunidade Kaonge oferecem atividades diversas para aos visitantes vivenciarem o cotidiano dos quilombos do território, a produção de azeite de dendê e também o cultivo de ostras.

 

Durante Encontro, comunidades demonstraram como obtêm sustento por meio do cultivo de mandioca. Crédito: Votorantim Cimentos/Divulgação.
Durante Encontro, comunidades demonstraram como obtêm sustento por meio do cultivo de mandioca. Crédito: Votorantim Cimentos/Divulgação.

 

Manual orientativo – Com as visitas de campo e os conhecimentos compartilhados entre indígenas e quilombolas, o próximo passo é criar um Guia de Boas Práticas de Relacionamento da Votorantim Cimentos com Povos e Comunidades Tradicionais, que deve servir como um manual e orientar todas as etapas de relacionamento da Votorantim Cimentos com povos e comunidades tradicionais que estão nos territórios onde atua e no seu entorno. Por isso esse material se destina a todos empregados, parceiros e fornecedores que têm contato com essas populações por ocasião das atividades e operações da Votorantim Cimentos.

No manual, deverão constar dados de protocolos de consulta, mecanismos de participação comunitária, resolução de conflitos, e informações ambientais e culturais. A estrutura e o escopo do Guia serão posteriormente apresentados em uma oficina de troca de saberes, com a presença de representantes de povos e comunidades tradicionais para validar o documento para a sua efetiva aplicação. Além de contribuir para estreitar o relacionamento entre os povos indígenas e quilombolas das regiões Norte e Nordeste, o Encontro de Comunidades Tradicionais fortalece a atuação da Votorantim Cimentos junto a comunidades localizadas em áreas onde a empresa possui operações.

No Norte, a Votorantim Cimentos em Xambioá (TO) elaborou um Plano de Relacionamento que tem como objetivo fomentar as cadeias produtivas das aldeias indígenas da região. Atualmente, a empresa oferece assistência técnica em segurança alimentar e orienta os indígenas sobre boas práticas de cultivo de abóbora, arroz, feijão banana, milho, mandioca e extração de castanha. A fábrica também apoiou o desenvolvimento de uma casa de farinha utilizada por membros de todas as aldeias para beneficiamento e produção de farinha de mandioca.

No Nordeste, onde a Votorantim Cimentos opera a Usina Hidrelétrica de Pedra do Cavalo, no Recôncavo Baiano, a empresa realiza várias ações para impulsionar o dinamismo econômico nas comunidades quilombolas, com iniciativas promovidas para o crescimento de associações de pescadores e marisqueiras, por meio de apoio para reforma e implantação de unidades de beneficiamento de mandioca e mariscos, a produção de ovos caipiras e cultivo de ostras. A empresa também mantém diálogo contínuo com as comunidades e qualifica grupos de jovens e associações comunitárias com o intuito de fortalecer projetos pilotos desenvolvidos no próprio território.

“A realização do Encontro de Comunidades Tradicionais é uma demonstração de como praticamos o Nosso Jeito de Ir Além. É uma ação em que geramos valor compartilhado de forma efetiva, porque estimulamos a troca de experiências entre os participantes, contribuindo para valorizar as suas culturas e tradições. Desse modo, fortalecemos também o nosso relacionamento e avançarmos na construção de um legado positivo nas comunidades em que estamos inseridos”, afirma a gerente de Transformação Social da Votorantim Cimentos, Priscilla Alvarenga.

 

Visitas e troca de conhecimentos darão origem a Guia de Boas Práticas de Relacionamento da Votorantim Cimentos com Povos e Comunidades Tradicionais. Crédito: Votorantim Cimentos/Divulgação.
Visitas e troca de conhecimentos darão origem a Guia de Boas Práticas de Relacionamento da Votorantim Cimentos com Povos e Comunidades Tradicionais. Crédito: Votorantim Cimentos/Divulgação.
0 Shares
Digiqole Ad

PBC

https://paraibacultural.com.br

Noticias Culturais e Ambientais da Paraíba

Conteúdo relacionado

Ativar notificações Sim Não
Which Notifications would you like to receive?